Coach’s Corner – Caê Lima, CF Thribo

Ex-jogador de futebol profissional do Ferroviária de Araraquara e ex-dono de uma academia de ginástica tradicional antes de conhecer o CrossFit, o paulista de Araraquara Caê Lima, 35 anos, hoje é dono do CrossFit Thribo em sua cidade natal e já tem uma filial em Poços de Caldas (MG).

Caê acredita que cada WOD tem o seu charme, mas o que considera mais desafiador e divertido é o “DT”, pois o atleta precisa vencer cinco séries que incluem levantamento terra, hang power clean (1º tempo de arremesso e suspensão em pé) e push jerk (2º tempo de arremesso). Ou seja, uma sequência de exercícios que exige um bom conhecimento das técnicas de levantamento de peso olímpico (LPO).

“Conheci o LPO por causa do CrossFit e acabei me apaixonando pelo esporte e por seus exercícios auxiliares. Gosto do “DT” justamente porque passo por todas as etapas do meu movimento preferido: o arremesso”, conta Lima, explicando que o mais difícil nesse WOD é tentar não largar a barra.

Para evitar que isso aconteça, sua dica é sempre usar a pegada de gancho (com o dedão preso entre os dedos e a barra) e se manter focado no segundo tempo do arremesso para não perder nenhuma repetição nem ter que refazer todo o caminho até a barra chegar ao ombro.

Para a execução segura deste WOD, o coach destaca que o ideal é fazer um bom trabalho de mobilidade antes do aquecimento com a barra. Só então o atleta deve aumentar a carga de aquecimento gradativamente até alcançar entre 10 e 15% a mais que a carga oficial do WOD. “Por causa da complexidade dos movimentos, o cérebro e os músculos precisam se acostumar com uma carga maior para que na hora de realizar o treino tenham uma resposta melhor em relação ao esforço. Isso é importante principalmente nas primeiras repetições”, explica Lima.

15091_CoachsCornerEd4

Grau de dificuldade
Metabólico: 4
Volume:5
Técnico: 7
Força:7
Total: 6 (numa escala de 0-10)

Peso e tempo
RX 155/105 lb em 10’/ 15’ (para homens/ para mulheres).
SCALED (adaptado à sua capacidade): para alunos iniciantes, o coach prefere levar em consideração a capacidade individual do aluno para definir a carga.

Caê Lima é head coach da CF Thribo, formado em Educação Física e sua capacitação como head coach inclui os títulos de CrossFit Level1 Trainer (American National Standards Institute), MAD Powerliffting Level 2, Módulo I FMT (Fascial Movement Taping) Rock Tape, Capacitação Profissional CrossFit Brasil (Joel Fridman), além de workshops de levantamento de peso olímpico com Everson Índio e Tiago Heck, Luiz Lopes, Dmitry Klokov e Fernando Reis .

Você pode se interessar também por...