Murph, o herói dos heróis

por Jamie Toland

“Se existe algum treino que com certeza vai te detonar, esse é o Murph. Eu me lembro claramente de ler os detalhes desse treino e imaginar como alguém poderia (ou pior, deveria) fazer um treino igual ao Murph. Até eu ler sobre a história dele pela primeira vez, depois toda minha percepção sobre o treino mudou para, “Por que alguém NÃO faria esse treino?”

140715-Imagem-Interna-Murph

Sei que com o sucesso do livro de Marcus Luttrell’s “Lone Survivor” e com o filme, a maioria das pessoas no mundo conhecem, não apenas aqueles da comunidade CrossFit, sobre todos os seus atos heróicos não só do Tenente Michel Murph, mas também de todo o seu batalhão da Navy Seals. Se você não conhece esse conto de coragem e amor, então você deve saber para se familiarizar melhor com ele.

Quer seja dia de Memorial Day, ou no 4 de julho, ou simplesmente um sábado qualquer, fazer o Murph é sempre especial para todos nós da comunidade.

Uma milha correndo, 100 barras, 200 flexões, 300 agachamentos e terminar com uma segunda milha de corrida. Eu já fiz o Murph completo três vezes, uma vez em dupla e um meio Murph num 4 de julho. Toda vez o treino foi brutal e toda vez eu me senti emocionado depois que consegui completar tudo isso. Eu nunca me senti emocionado no sentido de sentir pena de mim mesmo ou ficar lamentando sobre todas as minhas dores depois de um número aparentemente interminável de barras, flexões e agachamentos. Toda vez que eu completei o Murph (a maioria das afiliadas recomendam usar um colete de peso se tiver um), por mais louco que possa parecer, o Murph me deu algo que eu nunca acreditei ser possível: é hora de pensar!

Nunca houve um tempo que eu levei meu corpo até o limite e pensei em desistir por um segundo, onde eu não lembrei dos meus avôs e por tudo o que eles passaram como soldados na Segunda Guerra Mundial. Eu penso sobre o treino militar e o tempo que o meu próprio pai passou servindo na Marinha dos Estados Unidos. Eu penso sobre meus amigos que também serviram, e naqueles que ainda estão na ativa fazendo sacrifícios, como o tempo longe de suas famílias além de muitas outras coisas. Mas eu também penso no Tenente Michael Murphy e tudo o que ele fez para os EUA e para os seus companheiros irmãos de armas.

Assim como eu vejo pelos nossos boxes os rostos das pessoas que estão se esforçando ao máximo, tanto mentalmente quanto fisicamente para completar essa missão, eu fico orgulhoso de fazer parte de uma afiliada e de uma comunidade de CrossFit que leva tempo para reconhecer os serviços feitos pelos homens e mulheres. Eu sei que fazer um treino com essa dificuldade num ambiente totalmente seguro não tem comparação com o que os soldados passam numa base diária e num ambiente totalmente remoto de uma guerra. Mas para essas pessoas que dedicam parte do seu tempo, sua energia física para reconhecer e relembrar os esforços e os sacrifícios dos outros, ainda é uma coisa muito especial para mim.

Como meu coach Brian disse na semana passada, “Vocês todos deveriam tirar um tempo para vir aqui e fazer o Murph essa semana. Não se preocupe com toda a corrida e as outras coisas, nós podemos adaptar isso ou fazer em duplas. É um treino muito importante para se fazer e você deve estar aqui para fazê-lo”.

Diferente de muitos WODs no CrossFit, Murph é tão importante para seu espírito como é para sua saúde.

Obrigado a todos que servem tanto localmente quanto no exterior. Obrigado a todos os nossos policiais, bombeiros e paramédicos. Tenha um ótimo Memorial Day.”

Revista MyBOX

A MyBOX é uma revista brasileira com edições bimestrais especializada em conteúdo relacionado a exercícios funcionais, ginásticos e de força, além de treinamentos e aconselhamento nutricional por meio de reconhecidos profissionais da área. Com uma proposta colaborativa, pretendemos unir, engajar e dar voz à comunidade adepta da modalidade fitness em todo o país através da canalização e divulgação de informações e conhecimentos relevantes para a comunidade.

Você pode se interessar também por...