Relembre o Torneio CrossFit Brasil 2014

Prova 2 do Torneio CrossFit Brasil 2014: escada de levantamento terra.

Prova 2 do Torneio CrossFit Brasil 2014: escada de levantamento terra.


Se nos últimos cinco anos o número de boxes existentes no mundo inteiro simplesmente dobrou, no Brasil o crescimento foi igualmente explosivo.

“Em 2009 só existia o meu box, mas hoje, seis anos depois, já temos mais de 425 registrados”, informa o head coach Joel Fridman, 39, dono da CrossFit Brasil e organizador Torneio CrossFit Brasil, que foi realizado no ginásio municipal de Barueri. “E acredito que o ciclo de crescimento deve continuar forte por pelo menos mais dois anos.

Os números parecem comprovar a crença de Joel, pois, nos últimos três anos, o número de boxes cresceu cerca de 600%, e o maior potencial parece estar na região nordeste. Ceará e Bahia são os estados onde a atividade mais cresce no país. “Só de janeiro a setembro deste ano abriram quatro boxes só em Fortaleza”, afirma o personal trainer Neylson Nogueira, 32, da CrossFit 085, que ficou em primeiro lugar nas Seletivas Norte e Nordeste para o Torneio CrossFit Brasil desse ano.

417 Atletas inscritos

O número recorde de inscritos para o Torneio CrossFit Brasil é mais uma prova da força dessa atividade física que não para de crescer: 417 pessoas disputaram o direito de buscar o título de melhor atleta brasileiro, sendo que 86 se classificaram, com um contingente de 32 mulheres. Em 2013 foram 120 inscritos.

O êxito do Torneio se deu também entre o público que foi a Barueri assistir as sete provas realizadas ao longo de dois dias. Nada menos que 10 mil pessoas compareceram, e levaram nada menos que 10,5 toneladas de alimentos não perecíveis para serem distribuídos pela prefeitura de Barueri. No ano anterior, o público foi de quatro mil pessoas e a arrecadação de 3 toneladas.

O campeão – na realidade, o tricampeão – foi Francisco Javier Toledo Diaz, o Chiquinho, 28 anos, da CrossFit Jundiaí (SP). “Venci por ser o mais preparado, eu não sou o mais forte, nem o mais resistente e nem o mais rápido”, afirmou.

O segundo lugar ficou com Artur Machado, 23, da Primatas CrossFit (GO). “Comecei a minha carreira improvisando. Treinava em parques e pendurava a corda nas árvores”, revela Machado. Com menos de um ano de treino, em 2013 ele ficou em quarto lugar e foi considerado uma das revelações. A terceira posição foi para o baiano Tárcio Santos, 28, da CrossFit Moema (SP).

A campeã feminina foi Antonelli Nicole, 28, coach da CrossFit Brasil (SP). Também subiram ao pódio Marina Ramos, 28, da BSB CrossFit (Brasília, DF), que venceu o Torneio em 2013, e Anita Pravatti, 28, da CrossFit 2026 (Brasília).

Veja o passo a passo das sete provas que consagraram o homem e a mulher mais bem condicionados do Brasil:

PROVA 1

Time Cap: 40 minutos

1 km de corrida
100 saltos duplos de corda (double unders)
1 km de corrida
50 kettlebells swings – 16 kg para mulheres/24 kg para os homens
1 km de corrida
50 kettlebells swings – 16/24kg
1 km de corrida
100 saltos duplos de corda (double unders)
1 km de corrida

PROVA 2

Time Cap: 10 minutos

Escada crescente de Terra (deadlift)
Feminino: de 65 kg a 160 kg
Masculino: de 130 a 225 kg

PROVA 3

Time Cap: 18 minutos

20 burpees nas argolas
20 metros de sled pull
40 hand stand push-ups
20 metros de sled pull
40 toes to ring
20 metros de sled pull
40 overhead squats – 40/60 kg
20 metros de sled pull
40 pistol

PROVA 4

Time Cap: 10 minutos

3 rounds:
4/5 calorias na Air Bike
5 thruster – 40/60 kg
4/5 calorias na Air Bike
5 muscle-ups

PROVA 5

Time Cap: 12 minutos

5 rope climb
5 clean and jerk – 50/70 kg
4 rope climb
4 lean and jerk – 60/80 kg
3 rope climb
3 clean and jerk – 70/90 kg
2 rompe climb
2 clean and jerk – 75/100 kg
1 rope climb
1 clean and jerk – 80/110 kg

PROVA 6

Time Cap: 8 minutos

De 7 a 1 repetições de hang snatch – 40/60 kg
Box jump – 24 polegadas / 30 polegadas
80 m corrida

PROVA 7

AMRAP (quantas séries/repetições possíveis em um determinado tempo)

Primeira fase: 3 minutos
12/15 calorias na Air Bike
40 barras (pull-up)
30 bolas na parede (wall ball) – 15/20 libras
20 “do ombro para cima” com fat bar (shoulder to overhead) – 45/70kg
Hand-stand walk
2′ minutos de descanso

Segunda fase: 5 minutos
12/15 calorias na Air Bike
40 barras (pull-up)
30 bolas na parede (wall ball) – 15/20 lbs
20 shoulder to overhead com fat bar – 45/70kg
Hand-stand walk
Intervalo: 2 minutos de descanso

Terceira fase: 10 minutos

12/15 calorias no Air Bike
40 barras (pull-up)
30 bolas na parede (wall ball) – 15/20lbs
20 “do ombro para cima” com fat bar (shoulder to overhead) – 45/70kg
Hand-stand walk

Campeões do Torneio CrossFit Brasil 2014

Feminino

1ª – Antonelli Nicole, 28 anos

CrossFit Brasil (São Paulo, SP)

Resultado: 14 pontos

2ª – Marina Ramos, 28 anos

BSB CrossFit (Brasília, DF)

Resultado: 25 pontos

3ª – Anita Pravatti, 28 anos

CrossFit 2026 (Brasília, DF)

Resultado: 27 pontos

screenshot-www.crossfitlondrina.com 2015-07-08 14-18-49

Masculino

1º – Francisco Javier Toledo Diaz (Chiquinho), 28 anos

CrossFit Jundiaí (Jundiaí, SP)

Resultado: 37 pontos

2º – Artur Machado, 23 anos

Primatas CrossFit (Goiânia, GO)

Resultado: 55 pontos

3º – Tárcio Santos, 28 anos

CrossFit Moema (São Paulo, SP)

Resultado: 89 pontos

screenshot-www.crossfitlondrina.com 2015-07-08 14-18-24

Francisco Javier, o Chiquinho

Meu objetivo principal é me superar

Ele já praticou judô, capoeira, musculação, levantamento de peso olímpico, corrida, futebol e basquete, mas foi com o CrossFit que o paulistano de Jundiaí Francisco Javier Toledo Diaz, 28 anos, se tornou um tricampeão. Chiquinho, como o atual tricampeão brasileiro de CrossFit é mais conhecido na comunidade, treina há somente dois anos e meio. O primeiro título de campeão brasileiro veio com seis meses de treinamento e, a partir daí, a dedicação, o esforço e o talento desse atleta viraram sinônimo de sucesso e… de pódio!

Como você conheceu a CrossFit?

Foi durante uma viagem de férias ao Chile. De volta ao São Paulo, fui parar no box CrossFit Brasil e conversei com Joel Fridman, que recomendou a CrossFit Jundiaí, que fica na cidade onde moro. Por insistência da minha headcoach, com apenas um mês de treinamento já participei do Open e fiquei em 25º lugar.

Você participou de campeonatos importantes mesmo sem experiência. Onde queria chegar?

O objetivo principal é me superar, o que acaba se tornando mais importante do que ser melhor do que o meu concorrente. Claro que é muito melhor se o resultado incluir a chegada ao pódio, mas a competição é sempre você contra você mesmo, tendo a consciência de que se esforçou ao máximo, principalmente em um torneio.

Seu primeiro título veio com apenas seis meses de treino. O que tornou sua evolução tão rápida?

Meu histórico de esportista criou a base que fez – e faz – toda a diferença. Eu estava engatinhando na CrossFit e o resultado surpreendeu a mim e a todos. Na época, as pessoas diziam: ‘A gente sabia que você ia ficar bom, mas não tão rápido!’.

Qual é sua estratégia para competir?

Eu estabeleço metas diferentes para cada campeonato. No primeiro Regional, por exemplo, eu queria apenas participar. No segundo, meu objetivo era terminar todas as provas, o que não consegui. E, no terceiro, a ideia era estar entre o top 10, mas acabei em sétimo lugar, apesar de ter ficado em primeiro num determinado momento.

Com esse resultado, eu percebi que a minha participação no Games está próxima. Em 2015, o objetivo é estar classificado para o Mundial. Será a primeira vez que eu vou treinar pensando no pódio!

Você é dono de uma academia de ginástica. Você também ensina CrossFit?

Ainda não. Já fiz cursos de iniciação e de planejamento de treinos, mas não passei na prova do Level One, falhei na parte de Nutrição. Compreendi que primeiro eu tenho que aprender mais sobre CrossFit, o que estou fazendo agora.

Como é a sua rotina?

Geralmente faço treinos de alta intensidade durante cinco dias, mas divido o meu tempo entre fazer e dar aulas e administrar os negócios. E, embora considere o CrossFit o melhor método de treinamento do mundo, não deixo os outros esportes de lado. Todos agregam conhecimento, cada um com sua missão.

Você segue uma dieta rígida e respeita o tempo de recuperação entre os treinos?

Perto de campeonatos eu geralmente aumento o volume e a intensidade dos exercícios, mas reservo dois dias para descansar, o que é fundamental e faz a diferença no desempenho. Antes desse último torneio eu consegui parar por dez dias, para relaxar o corpo e aprimorar meu planejamento. Sobre a dieta, eu diria que me alimento de maneira saudável. Quer dizer, quase sempre. Às vezes vou a lanchonetes com meus amigos, apesar de não ser fã de junk food. Não gosto de lanchinhos, gosto de comida mesmo. Tomo suplementos e não consumo bebidas alcoólicas porque nunca gostei.

E nas horas de lazer, o que você faz?

Estou tentando organizar melhor a academia para poder pensar mais na minha vida pessoal, na família e na minha namorada. Se ela não trabalhasse e treinasse comigo, não faço ideia como seria o nosso relacionamento (Chiquinho namora Denise Suave, da CrossFit Jundiaí, que ficou em sexto lugar no campeonato brasileiro desse ano). E quando não estou na academia, gosto ficar em casa vendo filmes, de jogar videogame com meu sobrinho e ir a restaurantes.

Qual a maior lição que você tira da CrossFit Inc?

Aprendi a compartilhar, a dividir conhecimento e, acima de tudo, aprendi que meus adversários são as provas e não os outros atletas.

“Dei o meu máximo, estava mais preparado e conquistei o primeiro lugar. Mas os campeões também foram todos os que não desistiram e deram o seu melhor.”

Histórico de competições

1ª competição: Open 2012 – 25º lugar

2ª competição: Regionais 2012 – 17º lugar

3ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2012 – 1º lugar

4ª competição: Open 2013 – 11º lugar

5ª competição: Regionais 2013 (Equador) – 11º lugar

6ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2013 – 1º lugar

7ª competição: Summer Games 2014- 1º lugar

8ª competição: Braves Challenge Fit 2014- 1º lugar

9ª competição: Open 2014 – 17º lugar

10ª competição: Regionais 2014 – 7º lugar

11ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2014 – 1º lugar

Antonelli Nicole

Quero ir para o mundial. Então não fiz nada mais que a minha obrigação.

Com menos de três anos de treino intenso, a paulistana de Salesópolis Antonelli Nicole, 28 anos, atual campeã do Torneio CrossFit Brasil e coach do box CrossFit Brasil, já subiu ao pódio oito vezes. Por trás de tanto sucesso está uma vida inteira dedicada às atividades físicas e esportivas. São anos e anos dedicados ao balé clássico, à capoeira, ao handebol e à musculação. “Meu histórico esportivo me proporcionou um bom condicionamento físico, mas o treinamento funcional da capoeira, com ênfase na flexibilidade, força e equilíbrio, me ajuda hoje nos treinamentos ginásticos e de força”, diz Antonelli, que salienta que uma das grandes lições do CrossFit é a superação diária.

Como você conheceu a CrossFit Inc?

Um colega de trabalho me deu a dica, daí assisti a um vídeo na internet e adorei. Encontrei a CrossFit Brasil e fiz o curso de capacitação para profissionais de educação física com o Joel. Logo de cara, pensei: “É nesse lugar que eu vou trabalhar; esse cara vai me deixar muito boa e eu vou ganhar os Games”.

Com apenas um mês de treinamento você ficou em primeiro lugar no CrossFit Girls Challenge, em Jundiaí. Como foi isso?

Essa vitória marcou a minha vida. Apesar da insistência do meu coach, relutei até o último momento em participar porque estava apreensiva com a prova de barra, que eu não fazia muito bem. Contrariando a orientação dele, passei a treinar todos os dias, em vez de três vezes por semana, e a fazer muitos exercícios na barra. No final, venci o campeonato por causa da prova da barra. Impossível esquecer!

Como é a sua rotina?

Minha vida se resume a trabalhar, a treinar, a comer bem e a dormir bem. Eu sigo essas regras à risca. Não tenho vida social e sou feliz assim. Se eu ainda morasse no interior seria mais difícil, os amigos de infância reclamam a minha ausência. A maioria das amizades de São Paulo é da comunidade, todo mundo entende.

Como é a sua alimentação?

No começo eu sofria, mas hoje minha alimentação é balanceada e rica em nutrientes. Como de três em três horas, e não pode ser comer pouco, caso contrário não consigo levantar peso. No cardápio, tem muita salada, mandioquinha, mandioca, carne, frango e peixe. Tudo sempre cozido, nunca frito. E não tomo bebida alcoólica nem no dia de folga. Ah… e procuro dormir por 8, 9 horas. Com uma hora a menos, eu fico péssima.

Você treina cinco dias, com um de intervalo. Você realmente relaxa na sua folga?

Sim, o descanso é fundamental para o corpo se recuperar. E me permito sair da dieta sem culpa. No dia seguinte ao torneio desse ano, por exemplo, fui visitar meus pais no interior e comi pipoca. Contei ao treinador, que brincou: ‘Pipoca, Antonelli? Ora, você deveria ter tomado milk-shake!’ No meu dia off eu como o que eu quero e estava com vontade de pipoca (risos).

Entre as mulheres, qual atleta de CrossFit é sua inspiração e em quem você aposta para o futuro?

Gosto muito de Annie Thorisdottir, da Islândia, que tem 24 anos e é bicampeã mundial. E tenho prestado muita atenção na californiana Lauren Fisher, de 20 anos, que ficou em nono lugar na primeira vez em que participou do campeonato mundial (em 2014).

Impossível não notar sua excelente evolução como atleta. O que você tem feito de diferente?

Eu sempre quis ganhar o campeonato brasileiro, mas em 2013 eu falhei na parte estratégica. Conciliar o lado psicológico, emocional, com a técnica é bem difícil. Sou perfeccionista e bem competitiva, então tive que me superar! Corri atrás, aprendi com os meus erros anteriores e venci seis das nove provas (a última prova foi dividida em três). Saber que eu consegui fazer o meu melhor e que a minha performance foi superior à de todos os outros atletas é a melhor sensação, essa é a grande vitória.

Histórico de premiações

1ª competição: CrossFit Girls Challenge | CrossFit Jundiaí – 1º lugar

2ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2012 – 3º lugar

3ª competição: Open 2013 – 11º lugar

4ª competição: Regionais 2013 (Equador) – 3º lugar

5ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2013 – 2º lugar

6ª competição: Campeonato 3, 2, 1… de LPO 2013 (integrado com CrossFit pelo Técnico Dragos Stanica) – 1º lugar na categoria por peso e 1º lugar na categoria absoluta pelo Coeficiente Sinclair.

7ª competição: Regionais 2014 (Chile) – 3º lugar

8ª competição: Torneio CrossFit Brasil 2014 – 1º lugar

Revista MyBOX

A MyBOX é uma revista brasileira com edições bimestrais especializada em conteúdo relacionado a exercícios funcionais, ginásticos e de força, além de treinamentos e aconselhamento nutricional por meio de reconhecidos profissionais da área. Com uma proposta colaborativa, pretendemos unir, engajar e dar voz à comunidade adepta da modalidade fitness em todo o país através da canalização e divulgação de informações e conhecimentos relevantes para a comunidade.

Você pode se interessar também por...